Exposição coletiva «Distopia» no Pavilhão 31 em Lisboa

Exposição coletiva «Distopia» no Pavilhão 31 em Lisboa


Coletiva «Distopia»


No Pavilhão 31, em Lisboa

A exposição «Distopia» tem Pedro Cabral Santo como curador e marca o arranque da programação artística do Pavilhão 31 para 2013. É ainda a estreia de Valentim Barros, o artista doente internado por ser homossexual e que enquanto bailarino brilhou nos palcos da Alemanha nazi.


«Não será que, quando Platão expulsa os poetas na República, não será que nesse mesmo ato, ele se estará a manifestar como o maior poeta, o maior artista? Não será esse o maior ato criativo?», perguntam Nuno Esteves da Silva e Pedro Cabral Santo no texto que introduz o tema da exposição. Será? Ao certo, ao certo, ninguém sabe, mas é sobre isso mesmo que um conjunto de artistas vai refletir na exposição Distopia, com inauguração marcada para dia 12 de Abril, no Pavilhão 31.


Entre eles está Jorge Molder, o primeiro artista português representado na Coleção de Arte da UNESCO, ao lado de Picasso, Miró e Henry Moore, bem como em algumas das mais importantes coleções portuguesas – como a da Caixa Geral de Depósitos, da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento ou da Fundação Calouste Gulbenkian – e estrangeiras – como as do Everson Museum of Art (Nova Iorque), Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia (Madrid) ou Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.


Pela mão de Pedro Cabral Santo, o Pavilhão 31 do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa – antigo Hospital Júlio de Matos – acolherá ainda Isabel Baraona, Domingos Rego, Pedro Saraiva, Fernando Amaro, António Olaio e Sandro Resende.


A distopia a partir da qual se constroem as desconstruções desta exposição começam logo na escolha de Sandro Resende, o responsável artístico pelo Pavilhão 31, que aqui entrega a gestão a Cabral Santo e participa exclusivamente na condição de artista. E não se ficam por aqui, porque há também a presença de Valentim Barros (1916-1986), um dos doentes artistas mais emblemáticos do antigo Hospital Miguel Bombarda, que enquanto bailarino profissional atuou em vários países, sobretudo na Alemanha nazi e que faz aqui a sua primeira aparição pública enquanto artista plástico. 



Depois de em 2012 ter surpreendido com exposições dos consagrados Souto Moura e Jeff Koons lado a lado com vários artistas doentes, esta é a primeira iniciativa da programação cultural do Pavilhão 31 para este ano. 


Fotografias, pinturas e desenhos retratam o acto criativo, em diversas manifestações, pela mão dos artistas:

Artistas

  • António Olaio
  • Domingos  Rego
  • Fernando Amaro
  • Isabel Baraona
  • Jorge Molder
  • Pedro Saraiva
  • Sandro Resende
  • Valentim




Onde: Pavilhão 31, Av. do Brasil 53, 1749-002 Lisboa


Quando: de 12 Abril a 12 Junho 2013  


Onde ficar: para organização da sua viagem e marcação dos melhores hotéis, restaurantes, galerias de Lisboa, por favor, contacte a PRIVATE COLLECTION.
 


Luxo.com – Abril 2013
(Créditos: Arte Capital)
www.luxocom.eu

  • Imprimir
  • Enviar por email
    Fechar
    Enviar por email